Confira o review de Concrete Genie

Um jogo intuitivo, incrivelmente belo e nos faz trazer uma cidade de volta à vida.

22/10/2019 às 14:56hs
Imagem ilustrativa de Concrete Genie.

Concrete Genie é um jogo exclusivo de PlayStation 4 e chamou atenção pelo seu estilo cartunesco diferenciado, e bem colorido, com monstros que surgem durante a jornada do protagonista Ash.

No início do jogo nos é mostrado a cidade de Denska, uma velha cidade à beira mar onde nosso protagonista Ash passou sua infância, sendo um vilarejo que costumava ser cheio de vida, porém, algo aconteceu e o lugar foi varrido por uma escuridão, onde tudo acabou ficando sujo e poluído, forçando toda a população abandonar o local.

Indo contra a vontade de seus pais, Ash vai para a cidade levando consigo seu caderno de desenho, onde passa seu tempo desenhando pequenos monstros e memórias do passado.

Perdido em seus desenhos, o jovem é surpreendido por valentões que rasgam e espalham as páginas do seu caderno e o prendem em um bondinho velho, que o leva para um farol supostamente abandonado.

Lá ele encontra um de seus desenhos, Luna, que surge como um “grafite animado” nas paredes do local. Apesar de assustado ao ver o desenho com vida, a criatura é bastante simpática e o orienta a dar vida novamente para a sombria Denska.

Agora com um pincel mágico, nosso protagonista inicia sua aventura pela cidade. O principal objetivo do game é iluminar lâmpadas espalhadas pela cidade, que pode ser feito através dos seus desenhos da infância espalhados pelas paredes.

É na ilha que aprendemos as mecânicas básicas do game, como saltar entre plataformas, controlar a câmera entre outros, mas é só depois que temos o pincel que a principal mecânica aparece; podemos pintar usando modelos dos desenhos nas paredes, transformando assim os cenários apodrecidos em cenas coloridas e brilhantes.

Personagem utilizando o pincel mágico para fazer a pintura.
Concrete Genie – PixelOpus

Concrete Genie usa o sensor de movimento do Dualshock 4 para controlar a pintura, ou do modo mais tradicional e realizar os traços com seu analógico direito.

Funciona assim, ao abrir o menu você tem as páginas do caderno do Ash conforme for recuperando elas, que incluem desenhos de flores, gramas, estrelas, Lua e etc. Você seleciona um desenho, segura o botão e move o controle pela tela, apontando o cursor onde você quer reproduzir o desenho.

Pintar a cidade inteira não é uma missão fácil, mas nosso querido artista não está sozinho, conseguindo dar vida aos monstros amigáveis com ajuda do pincel mágico.

Mantendo o espírito criativo, esses Gênios também são feitos pelo jogador, podendo ser personalizados individualmente, utilizando partes do corpo como caudas, chifres, chapéus, que podem ser desbloqueados ao encontrar páginas espalhadas por Denska.

Porém, essa missão não é tão pacífica quanto parece, pois os valentões do início do jogo ainda estão nos perseguindo, mas não é nada muito preocupante.

Você pode facilmente distrair os valentões, uma vez que conhece o cenário, no fim os bullies funcionam mais como um entrave para sua liberdade.

Bullies indo em direção ao personagem principal.
Concrete Genie – PixelOpus

O visual do game é o que mais sobressai, pintar as paredes é muito simples e intuitivo, e dá resultados que enchem os olhos com tanta beleza.

O mesmo vale para os Gênios, que brilham tanto quanto qualquer outro item do cenário e ainda trazem vários bons momentos de interação, com alguns puzzles, e interação entre as pinturas, como por exemplo, uma maçã desenhada que pode ser comida por um monstrinho faminto, e por aí vai.

Contra bullies

Todo o game contém uma mensagem bem clara sobre bullying, os bullies usam da violência e crueldade como um mecanismo de defesa, e Ash também pode ajudá-los, afinal, a missão do jogo é trazer de volta a cidade antiga e para isso as pessoas também precisam mudar.

Abordar temas psicológicos não é mais uma novidade, mas ainda é bastante válido. O game serve para ensinar público infantil, mas ainda consegue apertar o coração de adulto em determinados momentos.

Personagem principal no ambiente do jogo.
Concrete Genie – PixelOpus

O game possui gráficos lindos e lúdicos, bem próximo do estilo visual de filmes como Coraline. A música e os efeitos sonoros são muito bem equilibrados com a jogabilidade, na horas de pintar, se movimentar ou até entrar em combate é bem fácil de entender.

Entretanto, a história e a gameplay do jogo parece ser um pouco apressada e menos profunda do que poderia ser.

Outro ponto que soa um pouco limitado é o “modo ação”, com basicamente cinco comandos novos para o personagem Ash, além de faltar mais variações de golpes dos inimigos, que são fáceis de serem abatidos, porém, eles fogem pelo cenário, tornando os combates cansativos.

Conclusão

Concrete Genie é uma experiência interessante para quem gosta de games para a família. Ele é bem curto, podendo ser facilmente finalizado em umas seis horas de gameplay.

Somente alguns pontos poderiam ter sido melhor explorados, como os valentões, dando carisma e particularidade para cada um deles, ao invés de ser um grupo de bullies genéricos como são.

Mesmo tendo espaço para um mar de possibilidades, isso não é um problema em frente a tantas qualidades do game.

O jogo é incrivelmente lindo e aborda temas atuais importantíssimos, como o convívio em sociedade e o bullying de maneira particular, mostrando que com o fim da infância e as responsabilidades, os traumas podem deixar marcas profundas nas pessoas, assim como no caso dos bullies.

Confira o trailer abaixo:

Concrete Genie | Trailer

Concrete Genie pode não ser o mais incrível exclusivo de PS4, mas é um dos mais originais de 2019.

Conteúdo Relacionado