Logan Lucky – Roubo em Família | RetroVision

18/01/2018 às 12:51hs

Eu sou fascinado por filmes de assalto. Não aqueles cheios de porrada, explosão e perseguições a la Velozes e Furiosos 5, mas sim da linha mais clássica, como Onze Homens e Um Segredo. O curioso no plot do roubo de Logan Lucky, porém, é o fato de quem em nenhum momento a gente acredita que os caipiras encabeçados por Channing Tatum conseguirão realizar seu plano.

Para dirigir a tentativa, ninguém melhor que Stephen Soderbergh, já famoso pela trilogia “Onze Homens”. O que soava mais estranho desde o começo do filme era realmente a crença de que os personagens seriam capazes de concluir o plano. Além de Tatum, o filme conta com o irmão maneta de seu personagem, vivido pelo ótimo Adam Driver e com um caricato bandido interpretado por Daniel Craig.

Com esses personagens improváveis, Soderbergh opta por transformar o filme em uma comédia de assalto, onde até as decisões mais esdrúxulas dos ladrões funcionam pela sorte, no melhor estilo bumba meu boi. E é nessa comédia que o filme encontra o tom perfeito para a sua história, funcionando quase que como uma sátira ao American Way do sul dos Estados Unidos.

Além disso, o filme pega vários símbolos americanos, como a Nascar, carros e o patriotismo cego e ilustra claramente sua crítica às bizarrices do extremismo. Alguns dos personagens, inclusive, parecem ter saído direto da Corrida Maluca, sendo Tatum e sua equipe uma espécie de gangue do Dick Vigarista, só que “do bem”.

A inventividade do plano também é boa, já que, por serem caipiras com pouca instrução, seria estranho vê-los elaborando estratégias tecnológicas e complexas para pegar a grana. Na verdade, o plano é mais logístico do que furtivo. Eles são vistos diversas vezes, mas sempre sem levantar suspeita.

É incrível como Tatum tem talento para a comédia. A canastrice do ator casa perfeitamente com a situação, e o tempo de comédia dele, e até as expressões, tornam toda a situação, que já é grotesca, um pouco mais engraçada. Mas Adam Driver e Daniel Craig são realmente dois pontos fortes do filme, o primeiro por sua interpretação quase que inexpressiva o tempo todo, um trejeito de bobalhão inocente. Já Craig foge completamente de seus papeis mais famosos e mostra um ladrão caipira e, ao mesmo tempo, especialista em explosões.

Logan Lucky é como uma comédia do ridículo, do american dream e do estereótipo sulista. Poderia ter sido estragado pela junção dos elementos, mas a condução do diretor é certeira, ácida e divertida. O melhor de tudo é que você pode assistir a essa boa comédia de assalto na locadora vermelha (paga nóis).

Conteúdo Relacionado